Nem sempre

Autor Hamilton Brito
 

Ah! Só se for por grande milagre...
E não há poder tão grande assim.
Até que muitas orações, eu fiz
Sabes o quanto de meditação?
Não e nem poderia mesmo saber.
Ouvi conselhos de muitas pessoas
E cada uma me dava um bom exemplo.
E eu orei... não acreditas mas eu orei.
A todos os santos e santas eu pedi.
Quantas vezes de você, eu corri.
Assim como a minha passada
Era o fervor  da minha oração.
Sabe aquele pedir sem querer?
Cada vez que eu pensava em ir.
Lembrava dos seus beijos lascivos
Eu pensava: agora vou embora
Mas que... seios lindos são os seus.
Firmes, altivos, macios e soberanos
Pondo por água a baixo meus planos.
E estas coxas, torneadas e longilíneas...
Lembrando um suave e doce planalto
E eu, mais na linha do horizonte.
Vendo do alto a doce planície de sonhos.
Ah! Nem por grande milagre...
Deixar você eu bem que queria
E chego a uma feliz constatação
Se é somente caso de amor, pode ser
Mas no tesão, querer nem sempre é poder.

 

.

Créditos:


Tube Feminino:Mara Pontes

Tube-paisagem -Luz Cristina

Tube vaso: Ivonne-chile

 

(Repasse com os devidos créditos)

Voltar
 

Copyright © 2007- Todos os direitos reservados. 
Webdesigner Ângela*Poesi@
Publicado em: 18.10.2003 Atualizado em:  10.09.2013