Minha Sina

Fernanda Colli 

 

Minha sina é andar na solidão.
Provar das lágrimas que rolam amargas.
Me ensurdecer de tanto silêncio.
Mergulhar num rio calmo, sem água.
Sou a lua a brilhar sempre só
Sempre fui da estrada, o pó.
Do arreio, a corda sem nó.
Eu sou um rio de mágoas.
Da rosa branca
quem um dia eu ganhei.
Do vinho tinto que tanto brindei.
Das palavras doces
que eu tanto escutei.
Só o silêncio
a taça e o espinho, ficaram.
Eu sou um rio de mágoas.
E assim eu sigo sempre o caminho
das águas.
Me perdendo em curvas
na imensidão.
E assim
mesmo com tantas paisagens
e figuras estou só com o rio
e suas águas turvas.
Minha sina é andar na solidão.


Créditos:

Tutorial

Tube Feminino: Susi Sagai

 

(Repasse com os devidos créditos)

Voltar
 

Copyright © 2007- Todos os direitos reservados. 
Webdesigner Ângela*Poesi@
Publicado em: 18.10.2003 Atualizado em:  17.09.2013