Eutanásia

Maria Aparecida de Godoy Baracat

 

 

Com tua mão benfazeja

Num gesto nobre de amor

Cortarás  o débil fio

De meu último estertor

Será tão breve  o adeus

Quão longa foi minha dor

 

Não prolongues o martírio

De ver-te e ouvir-te , ó amado!

Não adoces com teus olhos

Meu olhar triste e cansado

Afasta o teu corpo são

Do meu, já  dilacerado

 

Não chores, este é um instante

De glória, não de tormento

Controla o tremor das mãos

Pôe fim no meu sofrimento!

Da vida, que foi vexame

Só valeu....este momento

 

Pedido inusitado

Hamilton Brito

 

Olha, não é simples assim

Muito está nisso envolvido.

Lei, crença e conceito

E por mais que doa o peito

Deus, como vou te atender.

O teu martírio é o meu

E compartilho a tua dor.

Se teu corpo está dilacerado

não sabes o que sofro eu

Pois minh’alma sofre tanto

É  maior que o teu sofrimento.

Se pudesse, nesse momento

O meu fio é que cortaria.

 Como atender teu pedido?
Pudesse, no céu te esperaria

 

 

Créditos:

Tutorial Luz Cristina
Tubes e Misted de Grisi

 

 (Repasse com os devidos créditos)

Voltar
 

Copyright © 2013- Todos os direitos reservados. 
Webdesigner Ângela*Poesi@
Publicado em: 18.10.2003 Atualizado em:  16.09.2013